História do Brasil - A INDEPENDÊNCIA DO BRASIL

          

 

 

 

 

SOBRE A INDEPENDÊNCIA DO BRASIL

 

EXERCÍCIOS SOBRE A INDEPENDÊNCIA DO BRASIL:

1 - QUANDO SE DEU A PROCLAMAÇÃO DA INDEPENDÊNCIA DO BRASIL?
r:

2 - QUEM PROCLAMOU A INDEPENDÊNCIA DO BRASIL?
r:

 

3 - COMO SE DEU A PROCLAMAÇÃO DA INDEPENDÊNCIA DO BRASIL?
r:

RESPOSTAS:

1 - QUANDO SE DEU A PROCLAMAÇÃO DA INDEPENDÊNCIA DO BRASIL?

R: 7 DE SETEMBRO DE 1822

2 - QUEM PROCLAMOU A INDEPENDÊNCIA DO BRASIL?

R: D. PEDRO I

3 - COMO SE DEU A PROCLAMAÇÃO DA INDEPENDÊNCIA DO BRASIL?

R: Denomina-se independência do Brasil o processo que teve seu desfecho com a separação desse país do Reino de Portugal. Oficialmente, a data comemorada é a de 7 de setembro de 1822, em que ocorreu o chamado "Grito do Ipiranga". De acordo com a história, no dia sete de setembro, às margens do riacho chamado Ipiranga (atual cidade de São Paulo), o Príncipe-regente D. Pedro de Alcântara, desembainhou seu sabre e bradou perante a sua tropa: "Independência ou Morte!". Muitos aspectos dessa versão, no entanto, são contestados pela maioria dos historiadores em nossos dias.

FAÇA EXERCÍCIOS SOBRE A INDEPENDÊNCIA DO BRASIL II

01. (MACKENZIE) O processo de independência do Brasil caracterizou-se por:

a) ser conduzido pela classe dominante que manteve o governo monárquico como garantia de seus privilégios;
b) ter uma ideologia democrática e reformista, alterando o quadro social imediatamente após a independência;
c) evitas a dependência dos mercados internacionais, criando uma economia autônoma;
d) grande participação popular, fundamental na prolongada guerra contra as tropas metropolitanas;
e) promover um governo liberal e descentralizado através da Constituição de 1824.


02. A maior razão brasileira para romper os laços com Portugal era:

a) evitar a fragmentação do país, abalado por revoluções anteriores;
b) garantir a liberdade de comércio, ameaçada pela política de recolonização das Cortes de Lisboa;
c) substituir a estrutura colonial de produção e desenvolver o mercado interno;
d) aproximar o país das repúblicas platinas e combater a Santa Aliança;
e) integrar as camadas populares ao processo político e econômico.


03. A respeito da independência do Brasil, pode-se afirmar que:

a) consubstanciou os ideais propostos na Confederação do Equador;
b) instituiu a monarquia como forma de governo, a partir de um amplo movimento popular;
c) propôs, a partir das idéias liberais das elites políticas, a extinção do tráfico de escravos, contrariando os interesses da Inglaterra;
d) provocou, a partir da Constituição de 1824, profundas transformações nas estruturas econômicas e sociais do País;
e) implicou na adoção da forma monárquica de governo e preservou os interesses básicos dos proprietários de terras e de escravos.


04. (UCSAL)

I. Aparecimento do capitalismo industrial em substituição ao antigo e decadente capitalismo comercial.

II. Tradução em dois planos do processo capitalista: abertura das áreas coloniais à troca internacional e eliminação do trabalho escravo.

III. Transferência da família real para o Brasil e abertura dos portos.

Os itens acima sintetizam algumas razões que respondem, no Brasil, pela:

a) eliminação da importação
b) decadência da mineração
c) colonização portuguesa
d) independência política
e) expansão territorial


05. A respeito da Independência do Brasil, é válido afirmar que:

a) foi um arranjo político que preservou a monarquia como forma de governo e também os privilégios da classe proprietária;
b) as camadas senhoriais, defensoras do liberalismo político, pretendiam não apenas a emancipação política, mas a alteração das estruturas econômicas;
c) foi um processo revolucionário, pois contou com intensa participação popular;
d) o liberalismo defendido pela aristocracia rural apoiava a emancipação dos escravos;
e) resultou do receio de D. Pedro I de perder o poder, aliado ao seu nacionalismo.


06. A Independência do Brasil:

a) rompeu o processo histórico;
b) adaptou a estrutura política do país às conveniências da aristocracia rural;
c) acelerou o processo de modernização econômica;
d) representou um sério golpe na economia escravista;
e) representou um retrocesso político, devido à forma monárquica de governo adotada.

07. O príncipe D. Pedro, na Independência do Brasil, foi:

a) essencial, pois sem ele não ocorreria a independência;
b) figura de fachada, totalmente submisso aos desejos de José Bonifácio;
c) mediador, minimizando os antagonismos entre Brasil e Portugal;
d) manipulado pela aristocracia rural, objetivando realizar a independência com a manutenção da unidade popular;
e) totalmente independente, tomando para si liderança do processo, dando à independência um caráter revolucionário.


08. A emancipação política brasileira:

a) tendeu a seguir o exemplo da América Espanhola, quer dizer, da Independência da Bolívia, Venezuela e Peru;
b) contou com grande participação popular, principalmente de negros e mulatos do Nordeste, que viviam maior opressão;
c) marginalizou os elementos populares, e manteve as estruturas sociais e econômicas do período colonial;
d) foi completado com o grito do Ipiranga, em 7 de setembro, com a decisiva participação de D. Pedro;
e) somente foi consolidado após um ano de guerra contra Portugal, uma vez que a Metrópole não aceitou a ruptura.

Resolução:

01. C 02. C 01. A 02. B
03. E 04. D 05. A
06. B
07. D 08. C

 

VER TAMBÉM:

O DESCOBRIMENTO

O DESCOBRIMENTO DO BRASIL

BRASIL IMPÉRIO

BRASIL COLÔNIA 

ABOLIÇÃO DA ESCRAVIDÃO

O TRATADO DE TORDESILHAS

CAPITANIAS HEREDITÁRIAS

A GUERRA DO PARAGUAI

HISTÓRIA DO BRASIL 

GOVERNOS GERAIS
 

A ERA VARGAS 

A BALAIADA 

A CONJURAÇÃO BAIANA 

A GUERRA DOS EMBOABAS 

A REVOLUÇÃO FARROUPILHA 

EXPEDIÇÕES GUARDA-COSTA 

A VINDA DA FAMÍLIA REAL 

A PROCLAMAÇÃO DA REPÚBLICA 

A DITADURA NO BRASIL 

INDEPENDÊNCIA DO BRASIL 

LAMPIÃO E O CANGAÇO 

INCONFIDÊNCIA MINEIRA 


** ÍNDICE GERAL